>Vídeo: Processo de montagem de um engenho de madeira

>

O vídeo acima é uma produção do Bella Photo Produções e faz parte do vídeo editado durante a realização da 12ª Festa do Carreiro de Orizona, realizada de 26 a 30 de maio de 2010. O trabalho mostra o processo de montagem de um engenho de madeira, um instrumento secular e já quase perdido no tempo.
A documentação foi feita por José Gregório Jr, filho do senhor José Coalhada, principal responsável pela Festa do Carreiro. Localizada na região do Taquaral, em Orizona-GO, a propriedade da família tem como principal produção a cachaça feita de cana-de-açúcar, uma tradição na região.

>EFAORI realizará Dia de Campo em parceria com empresas

>

O Centro Social Rural de Orizona/ Escola Família Agrícola de Orizona, em parceria com PIONEER, DuPont, Hipercal, Casa do Pica Pau, Prefeitura Municipal de Orizona, demais entidades e empresas do setor agropecuário promoverá Dia de Campo no dia 11 de março a partir das 08:00 h, onde os participantes terão a possibilidade de ver em loco os materiais de ponta de milho para silagem, grãos e de soja da PIONEER com tratamento industrial de sementes. Na ocasião os participantes terão também a oportunidade de ver a eficiência dos produtos DuPont no controle de lagartas, fungos e plantas invasoras, bem como a eficiência de máquinas e implementos John Deere, representados pela Casa do Pica Pau. (Blog da EFAORI).

>Opinião: Costumes mineiros em chão genuinamente goiano

>


Mutirão para corte da cana em Orizona-GO. Fonte: Emater.

Lembrava daquela máxima em que dizia que “recordar é viver”. É certo que conhecendo o chão em que estamos pisando, trilhando a partir do ponto que partimos, teremos plenas condições de dar passos seguros para onde caminhamos. Daremos neste texto relevância a trajetória que percorremos até os dias atuais, considerando que somos o resultado de um processo de construção biológico e sócio-cultural que permitiu constituir a nossa identidade. Bairrista que somos, pretendemos compartilhar um pouco de nossa história, a nosso modo, como nossos pais, mães e avós nos contaram.

De acordo com os fatos e registros, chegamos aqui nas décadas de 1840 e 1850, mas bem antes já vivíamos neste solo e éramos conhecidos como Caiapós, os “peles vermelhas”. A formação e o desenvolvimento da nossa região estão ligados principalmente à chegada de migrantes vindos do triângulo e oeste mineiro. As primeiras famílias, ansiosas por conquistar um novo território partiram principalmente de Patrocínio, Araxá e Patos de Minas. Eram grandes famílias, que chegava a aqueles campos dourados pelo brilho do Sol matinal, as margens do ribeirão Santa Bárbara, na época abrangidas pela comarca de Santa Cruz de Goiás e fizeram surgir sob a fé em Nossa Senhora da Piedade, a Capela dos Correias, Campo Formoso e finalmente Orizona.
Localizado a aproximadamente 130 quilômetros de Goiânia, nosso município possui um pouco mais de 14 mil habitantes, grande parte destes vivendo no meio rural e dependendo diretamente da produção agropecuária familiar. Orizona nasceu e cresceu engrandecida pela grande fé, carisma e generosidade daqueles que viveram no interior mineiro, paulista, nordestino e sulista, preservando traços marcantes daquelas culturas, tais como o sotaque, a mesa farta, a fé cristã, o compadrio, o patriarcalismo e o espírito daqueles que levavam (e ainda levam mesmo nos tempos das redes sociais) uma vida prosaica e amistosa.
Segundo o pesquisador carioca Maurício Barros de Castro e o repórter-fotográfico Gustavo Stephan, autores do livro “Juventudes Rurais: Cultura e Desenvolvimento” (2007), “quando se chega a Orizona, a sensação que dá é que está chegando a um município mineiro, diante a hospitalidade e o sotaque dos moradores”. O batismo local acompanhou a sua vocação agrícola. O termo Orizona é uma justaposição que está relacionada à cultura do arroz. No início do século XX, o município era um grande produtor desse grão. Depois veio o ciclo do café, do feijão, do gado de corte e hoje o município é uma das maiores bacias leiteiras do Estado de Goiás. Toda essa vida econômica sempre esteve ligada à tradição camponesa e religiosa e aos valores deste povo cerradeiro que usa das organizações sociais e comunitárias a força propulsora para o desenvolvimento local.
José Pereira da Costa, um ilustre filho deste chão, narrou em um artigo no ano de 1960 traços desta peculiaridade herdada e conduzida por gerações: “de ano a ano se recebia a visita do padre, havia festas religiosas, batizados que farte e casamentos, por amor dos quais, à noite, gemiam violas com descantes plangentes cada qual dos cantadores a dizer saudades do berço longínquo. Dançava-se o cateretê, ouvia-se o pipocar de foguetes, e tudo acabava bem na paz do Senhor. Costumes de gente boa, afeita ao trabalho cotidiano, educada nos sãos princípios da moral cristã. Costumes mineiros que ainda revivem nos mutirões com o mesmo cateretê à noite, entremeado de danças modernas, que ainda refulgem no estrondear de bombas festivas ao chegar o noivado à sede da fazenda, que ainda transparecem, aqui e ali, na ‘roncice’ dos arcaicos instrumentos de fiar e no trapejar de teares, quiçá semelhantes aos que se viam nos Açores. Roda de Cedro e tear de bálsamo exigiam as matronas que, no lar, fabricavam todo tecido de consumo de casa e mais o óleo de mamona para o candieiro, enquanto, a vibrarem a enxada e o machado para equitarem, viviam a sua vida operosa os homens de têmpera invejável. Carros de boi, de uso medieval, tirados por seis, oito parelhas, único veiculo existente para facilitar as colheitas e também a população prover de sal e de implementos ao trabalho”.
Vista da cidade de Orizona em 1936.
Ainda hoje é possível, durante o pôr-do-sol, no início da noitinha, ver alguém fazendo uma visita para o compadre ou sentado na pracinha para “jogar uma conversa fora” com os amigos. Quando vemos isso acontecer precisamos lembrar todos esses elementos que constituem a nossa goianidade, composta a partir de uma miscigenação de elementos que fazem de nossa gente uma gente diferente, não mais importante que ninguém, mas com o dever de cada vez ser melhor. Portanto, façamos o possível e lutemos a cada momento para o nosso ‘hoje’ seja sempre melhor que o ‘ontem’ e não tão bom quanto o ‘amanhã’. Mas nunca esqueçamos que ao nosso lado existem pessoas que merecem isso tanto quanto nós mesmos. Assim, é nosso dever conjugar esse verbo em todos os tempos e pessoas do singular e principalmente do plural.

>Veja os resultados da 2ª Rodada do Campeonato Municipal

>

Nesse sábado, 12, aconteceu a 2ª rodada do Campeonato Municipal de Orizona Série B. Foram realizados 4 jogos em duas rodadas duplas. Confira os resultados na Coluna de Elson Caixeta, na Rádio Orizona WEB clicando aqui.

Nesse domingo (13) foi a vez da 2ª rodada do Campeonato Municipal Serie A. Na Firmeza aconteceu uma rodada dupla e no primeiro jogo o Real Orizona venceu o Rio do Peixe por 2 a 0. No jogo de fundo a Firmeza venceu a Corumbajuba por 1 a 0.

>Felipe Dias é homenageado por funcionários da Nutriza

>

Felipe recebe homenagem de funcionária da Nutriza. Imagem: Nilsinho Vaz.
Neste sábado, 12 de fevereiro de 2011, aconteceu um grande evento na sede da Prefeitura Municipal de Orizona-GO. O Prefeito Felipe Dias recebeu homenagem dos funcionários da Nutriza que residem em Orizona.
O Prefeito esteve acompanhado pelo Vice-Prefeito Antônio Baiano, pelos Vereadores Joãozinho Albino, Presidente da Câmara Municipal e também pelos Vereadores João Lucas, Waldivino de Freitas e Maria das Graças (Gracinha). No evento, também estiveram presentes os Secretários Municipais, Autoridades Religiosas, Diretor de Escola, e várias entidades do Município de Orizona.
Momento emocionante foi quando o Prefeito recebeu cartas de agradecimentos, lida pelos funcionários e também uma homenagem feita (ao vivo) pela locutora da Rádio Orizona FM – 87,9. Falou em nome dos Secretários Municipais o Sr. Rinaldo Costa, Secretário de Administração e pela Nutriza, Eliane Ferreira, Gerente de RH; Vereador João Lucas falou representando os Vereadores e o Pastor Jair, representando as autoridades religiosas.
Neste dia também o Prefeito Felipe Dias assinou novo contrato, fornecendo o transporte para os funcionários da Nutriza que residem em Orizona. (Rádio Orizona Web).

VEJA IMAGENS DO EVENTO CLICANDO AQUI.

>Veja como foi a primeira sessão escolar na EFAORI

>

Foi bem movimentada a primeira semana presencial na EFAORI, os monitores, professores, funcionários, direção e diretoria do Centro Social Rural de Orizona prepararam em grande estilo o início das atividades do presente ano.
Tudo começou na segunda-feira (31/janeiro/2011) com assembléia do Centro Social e famílias, presidida pelo presidente e vice-prefeito de Orizona Antônio Baiano.
Durante todos os dias os estudantes tiveram aulas normais e em todas as noites, foram organizadas atividades denominadas pela pedagogia da alternância de serões. As atividades foram as seguintes: na segunda-feira – grande forró onde todos participaram com grande animação; na terça-feira – foi realizado, por todos, uma grande pamonhada servida para mais de 100 pessoas; na quarta-feira – todos os estudantes assistiram a um grande filme regado com pipoca a vontade para todos e finalmente na quinta-feira, foi feita pelos estudantes, uma recepção da 2ª e 3º Série para a 1ª Série que além do desejo de boas-vindas realizaram uma dinâmica onde cada estudante escrevia em um painel, o que ele desejava que ocorresse durante o ano de 2011.
Outra novidade ocorrida durante a primeira semana, foi a gravação do Programa EFAORI organizado pelo professor Joãozinho Albino e realizado pelo grupo de comunicação da Escola: os estudantes Marlúce, Denes e Victor Hugo. (Joãozinho Albino/ Rádio Orizona Web).

>II Festa da Cultura de Orizona será dias 18 e 19 de março

>

O Ponto de Cultura Orizona Encenarte e o Coletivo de Cultura de Orizona planejam realizar nos dias 18 e 19 de março a II Festa da Cultura de Orizona. O evento será realizado na Feira do Produtor Rural, ao lado da rodoviária.
Exposição de Pintura e Artesanato durante a I Festa da Cultura, em jan/2010.
Na programação estarão atrações como exposição de artesanato e comida típica, desfile de carreiros, cavalgada e apresentações artísticas de música, teatro e poesia, além de almoço cultural com prosa, moda e viola. A primeira edição da Festa da Cultura aconteceu dia 16 de janeiro de 2010, quando foi lançado oficialmente o Ponto de Cultura.
O Ponto de Cultura Orizona Encenarte é uma iniciativa da ASDAO – Associação dos Artesãos de Orizona e tem apoio financeiro do Minc – Ministério da Cultura e Agepel – Agência Goiana de Cultura Pedro Ludovico Teixeira.